segunda-feira, 13 de junho de 2011

Últimas compras

Por que mesmo tendo muuuitos novelos de lã (ou linha) sempre que pensamos um novo projeto nunca é com o fio que já temos? Ou ainda, por que será que toda vez que nos encantamos com um novo fio (mesmo que o novo seja apenas aos nossos olhos porque o produto já está no mercado há algum tempo) somos compulsivamente induzidas (os) a comprá-lo mesmo não tendo nenhum projeto em vista? Pois é...a resposta eu não sei, mas o resultado das minhas aquisições nos últimos três meses é este:
Últimas compras
Pelo menos desta vez alguns têm destino certo (ou quase, rsrs). O Sensação, blusa para o meu pai (já comecei); o Harmonia (sugestão da Grace), manta para minha mãe; o Delicatessen, colete para meu irmão; os Super Bebê, acessórios para a Sheyde e para o Max (meus cães); o maravilhoso Magic Fog (mesclado), ainda não sei;  o Emília e o Flash são para mim (o Emília, ainda não sei - o Flash, uma blusa que também já comecei); os Elegance, golas (acho...pode ser que mude de idéia).  
Agora é sebo nas agulhas porque fio é o que não falta.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Indique sempre a sua fonte de inspiração

Com muita freqüência (ainda não consigo escrever sem trema) tem ocorrido a usurpação de direitos e idéias de tricoteiras (os) e crocheteiras (os) no mundo virtual e fora dele.
Aconteceu recentemente com uma amiga muito querida dos grupos que participo. Pessoa culta, inteligente, criativa e de uma bondade sem limites na medida em que, totalmente desprovida da vaidade que certamente massagearia o ego de alguns com apenas uma ou nenhuma dessas qualidades, se dispõe a compartilhar suas criações, suas idéias e a ensinar o que sabe.
Um processo de criação demora horas, dias, meses e, não raro, até anos. Não é justo que depois de tanto tempo, trabalho e dedicação despendidos na elaboração de um projeto até deixá-lo exatamente como se quer, venha alguém e dele se aproprie como se fosse seu criador. Tomar algo de outrem e usá-lo como sendo nosso é, no mínimo, inaceitável. Sem falar nas conseqüências legais que não vou enumerar porque esse não é o foco desta postagem. 
Copiar é fácil e muitas vezes permitido, mas copiar e não citar a fonte é falta de respeito e de educação. 
Exercitar a criatividade e lançar uma idéia diferente pode ser difícil mas não é impossível e, ainda que não seja do agrado da maioria, denota atividade pensante, capacidade, vontade e coragem de inovar. 
Vamos criar, executar e mostrar trabalhos bonitos. 
Vamos sempre divulgar a autoria e/ou o local onde foi publicada uma receita que executamos por achá-la interessante. 
Vamos colocar em prática novas idéias e se elas surgirem a partir do trabalho de outra pessoa vamos nos lembrar disso ao publicá-la indicando sempre a fonte de inspiração. 
Vamos enaltecer o trabalho dos outros ao invés de trazermos para nós, injustamente, os louros da glória.